Saudades porque sou gente

A saudade veio e me pegou de jeito.

Saudade de conversar e ver as carinhas de pessoas que se tornaram tão queridas pra mim.

Cadê tempo de rever, sentar conversar, se os nossos horários de trabalho, rotina louca, estudos e coisas mundanas não conseguimos conciliar?

Posso ter saudade mesmo se nem consegui por a roupa pra lavar?

Quando nos acostumamos a ver as pessoas todos os dias, quando os vemos mais do que a nossa família, cachorro, namorado, amante.

Quando de repente aquela colega virou sua amiga, quando você tem tempo livre e lembra de gente querida.

Sim, sinto saudades, será que estou doente? Sinto saudades, porque eu sou gente.

Anúncios

viver, respirar e escrever

Quem gosta de muitas coisas sempre se depara com a dificuldade de conciliar todas, de ter tempo pra se dedicar a cada uma delas. Ainda mais tendo que lidar com a “vida adulta”, pensar em casamento, pensar se vai fazer ‘festenha’ de casamento, ler sobre arte contemporânea, arte moderna, e arte na infância, tentar arrumar tempo para cozinhar…
Estou com a ideia, já há algum tempo, de criar posts mais sobre a minha rotina, aqui no blog, e ver o feedback que recebo. Afinal, o não é sempre garantido, que tal tentar o sim, quem sabe alguém se interessa? Acho que vou aproveitar pra falar também de como foi mudar pra um apartamento fora da casa dos meus pais, novo trabalho, vida acadêmica (ou ausência dela), receitas, vegetarianismo, e coisa e tal.